Como ter um lar acessível para deficientes físicos

Como ter um lar acessível para deficientes físicos

Veja quais são as mudanças necessárias na hora de adaptar a casa para pessoas com deficiência física ou com dificuldades motoras

 

 

Antes de mais nada, é preciso entender qual a real necessidade do ambiente a ser reformado. Pois existe uma grande diferença entre tornar adaptado e ser acessível. Seja pensando em um morador, ou para receber melhor os visitantes com limitações motoras e deficientes físicos. Um espaço verdadeiramente acessível é aquele que dá total autonomia ao usuário, quanto mais tarefas for possível que ele faça sem ajuda e de maneira independente, mais acessível é a casa. Uma dica valiosa é sempre incluir elementos que reúnam essas características:

  • Conforto
  • Segurança
  • Praticidade

 

Mas calma, não é necessário quebrar a casa inteira e nem é tão complicado quanto parece. Existem algumas mudanças simples a serem realizadas, como na parte de decoração ou mobília, que podem ser feitas por qualquer pessoa para transformar cômodos em locais acessíveis, funcionais e agradáveis. Confira:

 

Organização e limpeza

 

(Fonte: Getty Imagens)

 

Parece um pouco óbvio, mas um ambiente sem bagunça ou coisas jogadas no chão e com os móveis sempre no mesmo lugar, auxilia muito na locomoção de deficiente visuais, idosos e cadeirantes. Além de evitar possíveis acidentes por quedas ou esbarrões.

Portas de móveis e armários que são esquecidas abertas, podem acabar causando acidentes indesejados como colisão ou tombo.

Outra recomendação é de que as panelas no fogão estejam sempre com o cabo virado para dentro, evitando que alguém bata, derrube e se queime.

 

Decoração

 

(Fonte: Pinterest)

 

Menos é mais! O movimento minimalista é uma tendência mundial de decoração, e além de ser muito elegante e moderno, combina perfeitamente com ambientes para pessoas com dificuldades motoras. Os espaços mais amplos e abertos facilitam a circulação, seja no caso de cadeirantes (onde 1,5 metro x 1,5 metro é o mínimo necessário para uma cadeira de rodas girar em seu próprio eixo) ou para o uso de andadores (com 90 cm para andar livremente). Outra dica é limitar os móveis apenas ao que for realmente indispensável e excluir os tapetes que costumam atrapalhar na locomoção.

Ainda na parte de decoração, paredes com texturas diferentes facilitam a identificação para os deficientes visuais e o resultado final é um toque refinado aos cômodos. O cuidado deve ser apenas para evitar revestimentos muito ásperos que podem vir a machucar.

 

Pisos e Rampas

 

(Fonte: Casa Claudia/Fotos :Alessandra Okazaki)

 

Mesmo um pequeno degrau é um obstáculo limitante, por isso as rampas e o nivelamento de piso são necessários para uma casa acessível. Para construção de rampas é necessário seguir um padrão com no mínimo 1 metro de largura para cadeirantes, pessoas com bengalas, muletas ou andadores se locomoverem sem se chocar com as paredes e no máximo 8% de inclinação, caso contrário, o cadeirante não conseguiria subir com sua cadeira sozinho.

Outro item indispensável são os pisos antiderrapantes. Eles facilitam para ficar de pé nos momentos de transferência da cadeira e para maior segurança e comodidade na locomoção. O ideal é que seja instalado na casa toda. Caso não seja possível, é obrigatório nos quartos e em ambientes que costumam ficar molhados, como banheiros e cozinha.

 

Barras, protetores e acessórios de segurança

 

(Fonte: Casa Claudia/Fotos :Alessandra Okazaki)

 

Uma pesquisa realizada com idosos entre 60 e 96 anos, revelou que mais de 20% dos acidentes domésticos acontecem nos banheiros e cerca de 15% nas escadas. Por isso, é essencial a instalação de barras de apoio. Atenção apenas antes de comprar e instalar quanto às especificações das barras que devem atender as normas da ABNT 950, e NBR 10283 e 11003. Elas determinam dimensão, resistência e durabilidade (respectivamente) necessárias para o uso seguro e adequado.

Para segurança de modo geral, é essencial o uso de protetores nas pontas de moveis e mesas, redes de proteção em janelas, grades de segurança no topo e pé de escadarias.

Existem também sistemas de sinalização (campainhas) e comunicação (interfones) entre cômodos, que podem ser instalados para que em caso de acidente, seja feito o socorro o mais rápido possível. Justamente pensando nesses incidentes é recomendado que sejam colocados também próximos aos rodapés, para que possam ser acionados no caso de queda.

 

Móveis e ambientes planejados

 

(Fonte: Revista Casa Abril)

 

Na possibilidade de um planejamento e investimento maior, é possível planejar completamente os moveis e todos os cômodos da casa.

A sugestão para os cômodos da casa são:

  • Portas (90cm X 1,10m) e janelas de correr para economizar espaço e facilitar abertura.
  • Moveis e objetos com cantos arredondados para evitar acidentes.
  • Tomadas colocadas com 1m de altura, adequada aos cadeirantes e evitando que os idosos precisem abaixar para utilizá-las.
  • Torneiras de monocomando ou com alavanca para facilitar o acionamento.

As recomendações especificas para cada cômodo são:

 

Quarto

 

  • Cama com 46cm de altura, pois se adequa exatamente ao assento da cadeira de rodas, facilitando no momento de transferência.
  • Evitar colocar a cama ao lado da parede, deixando todas as laterais livres para saída.
  • Cama elétrica ou com dispositivos que facilitem a regulagem para dar mais conforto e autonomia ao usuário.
  • Guarda-roupas personalizados na altura, para facilitar o acesso a calçados e roupas.
  • Armários com portas de correr, pois são mais práticos e ocupam menos espaço.

 

Cozinha

 

  • A pia deve ter altura de no máximo 85 centímetros, com altura livre de, no mínimo, 73 centímetros.
  • Bancada centralizada, principalmente quando houver fogão instalado, para oferecer maior facilidade para cozinhar confortavelmente.
  • Cooktops, fogões ou fornos devem ser elétricos, pois a ausência do fogo na hora de cozinhar traz maior segurança e evita possíveis acidentes.

 

Banheiro

 

  • Pia com altura adaptada e sem nenhuma mobília embaixo, para permitir que a pessoa entre com a cadeira de rodas por baixo dela na hora de usar.
  • Suportes para lavatório que oferecem mais conforto e segurança.
  • Espelhos com inclinação adequada, pois devido à altura, os espelhos planos dificultam o campo de visão do cadeirante.
  • Bancos articulados para banho para as pessoas que tem mobilidade reduzida, que não podem tomar banho de pé ou idosos que se cansam facilmente.
  • Elevação para vaso sanitário, facilitando a transferência da cadeira para o vaso sanitário.
  • Torneiras e registros com sistema de acionamento adaptado.

 

Quintal e áreas de lazer

 

  • Criar áreas para hobby e lazer para que o portador de deficiência não fique confinado o tempo todo dentro de casa.
  • Quintal com bastante espaço para circulação e sem qualquer irregularidade no piso ou concreto.
  • Jardim com pontos sem grama ou raízes de árvores aparentes, para facilitar a locomoção com cadeira de rodas nesse tipo de solo.
  • Piscina é a maneira perfeita para a pessoa fazer exercícios, pois ajuda a manter flexibilidade muscular que naturalmente se perde por permanecer muito tempo sentado.
  • Instalar elevador ou guincho ao lado da piscina para facilitar o acesso e saída.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu

Avatti WhatsApp

×

Carrinho